sábado, maio 24, 2008

Esperança

Inspirado numa travessia CemRemos,

E
scuto a chuva
Suave que cai
Por entre vales
E planícies em que me deito.
Rio que corres em mim
Antes fosses ribeiro, soalheiro,
Na noite
Caída por entre os dedos
Antes do amanhecer.

(http://cemremos.blogspot.com/)

2 comentários:

100 remos disse...

Esperança no início, saudade no fim. Gosto muito de poemas visuais e ainda bem que o meu modesto registo poético serviu de inspiração ao poeta-poente. Elemento( primordial ) comum: a água.

A Grafonola disse...

=))) espectaculo....