quinta-feira, março 29, 2007

Pequeno anjo

Pequeno anjo
percorres campos de papoilas,
acaricias malqueres com as pontas dos dedos.
Tocas-me na alma,
encontras segredos e eu, sem medo,
deixo-me levar pelo teu canto de aurora.

Tua voz faz eco nos meus sonhos,
teu beijo leva-me distante,
teus olhos põem-me ausente!

Olho-me ao espelho, já não sou eu.
Todo meu ser é teu!
Todos os meus ais são desespero,
todos os meus segundos, contados,
esperam um momento
sincero
em que voltarei a sentir os teus lábios,
em que voltarei a ser eu,
em que no espelho seremos dois,
em que o teu olhar será, de novo, meu.

Este ser, este estar, esta incerteza
Este morrer bem lento,
Esta ânsia de paraíso,
levam-me o sorriso,
e deixam-me esta insustentável leveza de não ser!

6 comentários:

Vanadis disse...

Snif snif...

Vanadis disse...

Com snif quero dizer q o poem é lindo.

Vanadis disse...

è verdade, não te cheguei a agradecer o comment no meu post do Salazar. Bigada. :-)

poeta_poente disse...

eu é que agradeço os teus posts aqui. São sempre uma fonte de motivação. Beijo

Vanadis disse...

lol, ora, ora, a motivação vem de dentro, não vem de fora! :-)

Mas eu percebo, qd vemos que "se dão ao trabalho" de comentar, sentimos logo outra motivação. :-)

Lilis disse...

Obrigado pelos comentários e elgoio às minhas fotos :)

BJus e BOM FDS!

:)