segunda-feira, fevereiro 18, 2008

pingas de chuva

Hoje amor,
saí pela tempestade.
Deixei o trono de contos de fadas,
e das almofadas que me punham confortável
e parti.
Fui apanhar gotas de chuva para ti amor.
Olhei o céu
e esquecendo tudo o que sou eu
deixei que essas pingas frias,
molhadas
regadas de verdades
e saudades distantes
me escorressem pelo rosto.
Fechei os olhos e, num misto de lágrimas e chuva,
chorei pelo que nunca tive.

Abri os olhos...
e as nuvens que choravam sobre mim
tinham o teu olhar...

Será que também choras assim?
Será que é por mim?

4 comentários:

uma alma disse...

LIIIIIIIINDO!

Anónimo disse...

.. nuvens..
certamente nuvens não seriam..!

Seriam talvez pedaços de algodão, utilizados para limpar lagrimas.. lagrimas de alguém que não te pode ter junto de si..

Actualmente talvez caiam lagrimas de tristeza feitas gotas.. , mas poeta não te esquecas.. amanha essas mesmas poderão ser transformadas em gotas de alegria transbordadas de paixao!


Amei o poema, continuas cheio de inspiração! Lindo!

Vanadis disse...

pensei que tinha comentado... =( está lindo, como sempre...

Papoila disse...

Muito bonito .. lagrimas de amor.

Beijos
BF