terça-feira, novembro 13, 2007

Alguém

Deitado na cama
as lágrimas correm sem parar.
Na cama navego,
no rio de sofrimento,
das lágrimas que correm e desaguam no mar.
Não há vento que me embale!
Não há mão, ombro ou afago...
Nem colo onde possa adormecer,
colo de alguém que me ame,
ou que apenas me dê a mão neste momento.
Hoje sou filho do Ontem!
E ontem deixei a vida que trazia nos lábios
presa num qualquer ramo deste bosque de sombras que atravesso.
Ontem perdi a bússola, hoje o mapa...
Sou ninguém que desejava alguém aqui, agora, sem dúvidas.
Alguém que me desse a ansiada mão
e me ajudasse a atravessar este ribeiro de lágrimas
da floresta negra!
Que me mostrasse que ainda posso ter o sol.
Que me fizesse sentir que posso sair de vez da sombra...

4 comentários:

Anónimo disse...

Amigo, a situação não está fácil, mas tens que ter força para lutar contra o sistema.

Sei que não é a minha mão que procuras, mas sabes que podes contar sempre comigo, com o meu apoio.

ana disse...

ups, não é anónimo, esqueci-me de assinar

Ana

Cata disse...

amorito, não é tb a mão que queres, mas sou uma mão que está sempre ao pé de ti, sempre... força hoje, tá??? amanha tudo será melhor... vai ficar tudo bem, isso eu sei, como dizem os xutos! beijo tão grande

Vanadis disse...

E cá vem mais uma dar-te a mão!!! não é a mão que gostarias que fosse, mas é uma mão cheia de carinho e amizade. Conta comigo até para testemunhar.