domingo, novembro 18, 2007

Gelo

Hoje acordei fora do tempo.
Ao abrir os olhos encerrados ontem por força da necessidade de dormir para esquecer,
sinto-me morto, um peso morto...
amorfo!
Tento descobrir o porquê de ter que me levantar,
mas tudo me parece etéreo... como se não existisse!
O Ontem parece um Amanhã eterno,
e não quero ter que me forçar a dormir de novo.
Quero saber o porquê de ter nas veias lágrimas em vez de sangue.
Quero saber o porquê da tristeza em vez da alegria,
e saber porque me sinto morto e continuo a enfrentar os dias.
Como quem atravessa um deserto
e a única certeza que tem é que as noites serão sempre mais frias
que os dias.
Como a neve teima em cair mesmo sabendo que irá derreter e desaparecer pelas encostas abaixo....
assim me acho...
Neve, frio,
dias a fio com lágrimas que caem em forma de gelo
e se estilhaçam ao cair no chão
como este coração que se arrasta e arrasta e arrasta... sem saber porquê,
para quê, nem até quando....
Só com a certeza que cada vez mais as noites serão mais frias.

6 comentários:

ana disse...

Amigo, não fiques assim...

Nós estamos na terra por algum propósito...

Na minha opinão, o teu, neste momento, penso que é lutar pela tua filhota. Há que fazer tudo para conseguir a estabilidade emocional da pequenita e tu não te podes deixar ir abaixo.

Força amigo!

Vanadis disse...

Mau...mas que contraste! Que balancé! É como a Ana diz, homem: estás aqui para lutar pela Inês.

É dificil? Pois é. O que é que não é difícil na vida?? Até o amor é difícil!!

Queres desistir de lutar? Desiste. Mas depois não te admires de ganhares a tristeza e o esquecimento por parte da Inês.
Sabes que é uma luta dificil e que não a vais ganhar agora, já. Vais ganhar, vais. Mas não é pra já. Tens muito caminho para percorrer e desbravar, tens uma luta enorme à tua frente. Por isso, faz o favor, levanta-te da cama, enxuga essas lágrimas e LUTA! Já chega!!!!!! LUTA, PORRA!

Vanadis disse...

Senão, olha, deixa-te estar. Não te levantes. Não lutes. E a deixa a tua filha odiar-te por não teres continuado a lutar por ela. É isso que queres?...

poeta_poente disse...

o que cada vez mais me cativa em escrever poesia é precisamente a sua interpretação por parte de outros, neste caso, mesmo sem ter nada a ver com o que me disseram, conseguiram animar-me... e vocês sabem que eu luto, podem achar que é pouco a minha luta interna vos é totalmente imperceptível... mas tenho o pior dos adversários, aquele que conhece todos os meus truques e manhas, eu próprio... para todas as lutas e todas as batalhas, porque na maior parte das vezes, não se trata sequer de desisitir, ou não saber por o que lutar, mas... é demasiado dificil explicar, até porque já alguém decifrou o código genético da alma? Acho que não, e seria sem duvida demasiado ousado da minha parte tentar explicar por palavras mesmo que seja apenas um pequeno traço desta alma... esta alma velha e cansada!

Vanadis disse...

Desengana-te, amigo, pois não és o único que luta internamente consigo próprio todos os dias. Simplesmente uns aprendem melhor que outros a lidar com isso e a levar as coisas em frente.

E é lutando pela inesita que vias vencer-te a ti próprio.

O codigo genetico da alma nunca será decifrado, haverá sempre algo que nos vai escapar.

Vanadis disse...

Não era minha intenção por-te para baixo, mas do que percebi, quis dar-te uns abanões. Não podem ser só abracinhos, ;-p, as caroladas tb fazem parte. :D