terça-feira, novembro 27, 2007

Suicídio

Sou totalmente contra os tabus e acho sinceramente que já é tempo de perdermos o medo de falar das coisas.
Na nossa sociedade parece ser tabu falar de suicídio e da morte em geral. Nunca se diz morreu, diz-se faleceu. Quando alguém se suicida, é completamente eliminada das conversas a forma como esse alguém morreu.
Pois eu acho que não existe ninguém que nunca tenha sequer pensado nessa hipótese e acho que quem não consegue falar sobre isso é que é alguém em perigo.
Da minha parte admito sem vergonhas que já o pensei muitas vezes e outras tantas percebi que era um erro muito grande, mas acima de tudo, acho que é uma injustiça enorme para quem cá fica, principalmente porque vai pensar sempre que podia ter feito algo mais!
Para quem, como eu pensa nessa hipótese, não tenham medo de aceitar esse pensamento. Aceitem-no e analisem-no... se realmente valerá a pena.
As minhas ideias suicidas sempre surgiram por desamor, e pensando pragmaticamente, vejo que é uma autentica idiotice pôr termo à vida só porque alguém não nos ama. Mas que dá vontade dá.... aquele desespero irritante de quem sempre soube dar a volta por cima e não está a conseguir.
Tenho na minha vida o contacto com o suicídio muito permanente, foram amigos e familiares que já se foram desta forma, e não os condeno, falo nisso abertamente, e se um dia essa fôr a opção de quem quer que seja, sabela-ei respeitar porque é algo que só à pessoa diz respeito.
O suicídio é uma solução, não uma doença como nos querem fazer crer. É sem dúvida uma solução algo egoista mas também corajosa.
Só cada um sabe o que sente dentro de si próprio e nunca devemos criticar decisões que se baseiam no íntimo de cada um que escapa até ao mais próximo.

9 comentários:

ana disse...

Amigo, discordo contigo quando dizes que o suicídio é solução. No entanto respeito a decisão de cada um.
Não concordo porque, para além de acreditar na reencarnação, acredito que a vida que temos é o resultado daquilo que fizemos de bom/mau em vidas anteriores. Nesta prespectiva, o suicídio só poderá ser considerada uma solução para a vida presente, porém, irá tornar o "fardo das contas kármicas" muito mais pesado na vida seguinte...

poeta_poente disse...

como sabes e já falámos disso, o nosso amigo de albufeira disse precisamente isso... na minha vida anterior suicidei-me...

ana disse...

Amigo, falámos de muitas coisas mas desta em concreto não, pelo que não tinha conhecimento dessa situação.

Se soubesse, não teria comentado.

O comentário foi feito com base naquilo que acredito e, sobretudo, na minha experiência de vida!

Cel disse...

Suicidar-se?

Acabar com toda a vida que existe em ti! Camarada tú precisa de alguma coisa pra te fazer sentir vivo! E não respeito quem o faz, mas todos pensam nisso em situações de tristeza. A vida é oportunidade.

beijo

poeta_poente disse...

Eu acredito que o suicidio é uma forma de acabar com a vida do corpo em que habitamos, mas se leres bem o texto, verás que temos opiniões iguais.

Vanadis disse...

Poetito, já sabes que discordo nalguns pontos. Discordo sobre o suicidio ser solução. Será??? Não será antes um prolongamento e mais um adiamento do verdadeiro problema? Como diz a ana, há o karma. Podes adiá-lo nesta vida, mas ele voltará. E tornará a voltar até que se enfrente o problema e se passe á frente.
Numa vida anterior suicidámo-nos?...então, se é verdade e se sabemos disso, é muita burrice ignorar a informação e persistir no erro.
Também discordo quanto ao ser um acto de coragem. É um acto de cobardia, isso sim, apesar da suposta força que é necessária para combater o instinto de sobrevivencia. É cobardia porque é uma fuga fácil, uma anti-solução.

Vanadis disse...

Vendo por outro prisma. E se só existir esta vida? A solução é desperdiçá-la?...

Vanadis disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vanadis disse...

Mas, elogio-te a coragem em falar disso abertamente.
Penso, como tu, que há um tabu muito grande em volta do assunto. Não entendo como é que os ditos especialistas aconselham a falar do assunto sempre que alguem tenha ideias suicidas e que a opinião geral seja "só quer chamar a atenção" com consequente ostracização de quem se atreveu a seguir o conselho dos especialistas.