quinta-feira, março 12, 2009

Ata-me

Ata-me em teu peito,
como a amarra de um navio
presa ao cais.
De rosto na pele,
olhos fechados,
lábios húmidos,
em teus seios desejados.

Agarra-me agora,
sem pudores,
sem demora.
Despe-te nos olhos,
que de tanto te amarem,
se deleitam a ver-te.

Encontra em meu corpo,
o caminho para ti,
encontra em meu ser,
o mapa do mundo,
que escondido na noite,
no poço mais fundo,
se revela agora,
teu cada segundo.

8 comentários:

Ianita disse...

LOL

Fizeste-me lembrar um filme do Almodôvar com o Banderas :)

Muito bom! Nem consegui ler mais nada depois do título

Kiss

Sayuri disse...

Sim! O primeiro pensamento vai para o Almodovar! Mas eu li :)

Sininho disse...

lol eu tenho o filme!
sim depois do titulo, principalmente se viste o filme, o poema toma outro sentido ehehhe

Miepeee disse...

E bem forte, de preferencia com um no cego :)
Beijo daqui ate ai.

A girl on the move disse...

Almodovar foi o meu primeiro pensamento... :P

najla disse...

Lindo!!!!

bjinho

PaulaPan disse...

Gostei xD

A Grafonola disse...

bolinha vermelha :-p