segunda-feira, março 23, 2009

Fogueira

Danço na fogueira.
Danço na chama que me consome,
nos dedos que, enormes, tentam chegar-te.
Queimo-me na tua pele,
no teu rosto.
Beijo os lábios
doces de sol posto.
Sou tinta bamboleante,
de pincel errante, que na tela tenta desenhar-te.
Sou o verniz nas tuas unhas,
o reflexo em teus olhos.
Sou amar-te, sou ter-te,
sou um verbo que se conjuga na tua boca.
Sou a água de outrora,
o vento de leste, amargo, agreste,
o sonho que te ama na aurora.

2 comentários:

pepita chocolate disse...

Bonito! Lindo mesmo!

Beijoca!

Sininho disse...

hermes? Poeta?
Agora fiquei confusa! No entanto seja quem tiver escrito, está fantastico.

:*