domingo, março 01, 2009

Não chores...

Sentada na areia, de frente para o mar, choras quase sem esforço. As lágrimas que tantas vezes deambulam pela alma, encontram finalmente os olhos e cavam rios no teu rosto. As ondas batem nas rochas, deitam-se na areia e tu, já sem forças, deixas-te tombar, sentindo o frio dos milhões de partículas que o mar levou anos e anos a separar.
Não chores, digo-te eu. Pego a tua mão, puxo-te para mim e abraço-te.
Não chores e encho-te de beijos e de sorrisos.
Não chores e pego-te ao colo e levo-te dessa praia de tristezas.
Não chores e em silêncio, olho-te, beijo-te e repito, não chores...

7 comentários:

Van disse...

Mas às vezes os beijos não chegam para curar as feridas da alma.

100 remos disse...

Ali, sentada naquele banco, deixou-se levar pela música do mar, tocada em notas laranja. O vento tinha ido à procura de outros areais. Ela deixou-se estar, os olhos cheios de sal. O mar chamou-a "Vem, engrossa as minhas ondas com as tuas lágrimas!". Um dedo segura agora uma lágrima do tamanho de uma onda. Inundam-se agora as palmas das mãos. O mar insiste " Vem! Depois de minhas, deixarão de ser tuas." Ela levanta-se, caminha em direcção ao mar. Molha os pés, debruça-se e lavando a cara, sorri e grita " São nossas!"

Fizeste-me lembrar um texto meu antigo.

Eu mesma! disse...

sim....
existem por vezes feriadas que nem os beijos nem um cicatrizante conseguem fechar....

essas apenas o tempo.... e por vezes nem o tempo as consegue....

Cris... disse...

Que sorte que alguém nos tire de dentro de nós quando nos doemos muito...

Que sorte!

Afrodite disse...

:( e conseguiste? :(

Abreijinhos

Mag disse...

"E calam-se as lágrimas no rosto sulcado de mágoas.
E olham-se os olhos com sorrisos que espreitam, em timidez e a medo.
E descobrem-se as bocas que matam as palavras desnecessárias, deixando o silêncio, bálsamo suave, carregar a alma em baloiço."

(Ups, I did it again)

Zabour disse...

As lágrimas servem para descarregar os pesoa da alma...a mim pelo menos deixa-me mais aliviada, mas eu sou uma chorona por natureza, por isso sou suspeita...

Beijinhos