quarta-feira, fevereiro 25, 2009

Breve

Breve
tão breve te vais.
Cedo o sol nascerá
e as horas teimarão em não passar.

Este relógio que trago comigo não me fala.
Não tem horas para mim.
Só demoras.

Deixei de saber contar por ti.
A seguir ao um, vem o um,
e de segundo em segundo, tudo somado,
o resultado é nenhum.

O tempo não passa,
a chuva molha,
o destino não se decide...

7 comentários:

inês disse...

breve, volto!

Miepeee disse...

Costuma-se dizer que para tudo ha um tempo certo, nem sempre e quando desejamos mas o destino encarrega-se de nos mostrar a altura certa :)
Beijo.

izzie disse...

Adoro a forma como pintas a incerteza, a dúvida, a sudade, a falta...
Quase como uma experiencia boa de se ter...

Beijo

A Gata Christie disse...

Simplesmente... Genial!

Anónimo disse...

O amanhã que tarda em chegar...
Bj

bluebutterfly disse...

Como sempre grandes palavras ...

Concordo com a Izzie .

Tens uma forma muito bonita de transmitir o que sentes, a tua ânsia , o teu desejo ...

O destino é incógnito....e isso fascina tanto como assusta.

Mag disse...

O destino decide-se quando for a altura certa... O relógio mostra-nos as horas do coração, não do tempo (que é eterno)...
Não te esqueças... não há coincidências!