domingo, abril 12, 2009

Noite



Forço-me na noite pelas ruas, pelos sons, pelas vozes. Procuro o que em mim me falta e só encontro a vazio já conhecido do poder ter e não ter por não ser o desejado.
A noite não me traz nada de novo.
As caras novas, não me trazem nada de novo.
Está escuro aqui dentro e tarda a nascer o sol, tarda o dia a chegar.
Não há mais nada que possa sentir, que possa querer, que afaste de mim esta dor do silêncio que não se quebra, e que eu não posso quebrar...

2 comentários:

Eu mesma! disse...

Feliz Páscoa!

Zabour disse...

Olha, quando me sinto assim vou para o meu quarto k é o meu refugio spr à mão, coloco uma música linda em altos berros e como uma coisa doce, à vezes adormeço a chorar. Outras vezes, vou buscar o albúm de fotos e o calor das boas recordações dá-me alento para viver um dia de cada vez, com mais calma e paciência, esperando por dias melhores e com cehirinho a chocolate quente.

Beijinho , gajo giro, das pestanas enormes...;O)