segunda-feira, janeiro 12, 2009

Poemas

Os meus poemas não têm espartilho.
Vivem soltos no teu peito.

As palavras que te amam,
são braços que te querem,
as mãos que te descobrem
os dedos que te percorrem.

A minha poesia
que se sussurra no teu ouvido,
esconde os beijos que se encerram
nos meus lábios despidos.

9 comentários:

Sayuri disse...

Já passaram uns minutos, e não tenho palavras que possam comentar este poema como ele merece... :)

Ianita disse...

.....................

Arrepio na espinha....

Lita disse...

Maravilhoso... mais uma vez!

Tangerina disse...

já te disse o que achava...LINDOOOO.

Beijo meu poeta

Tangerina disse...

já te disse o que achava...LINDOOOO.

Beijo meu poeta

Afrodite disse...

:) eheheheh tu com musa inspiradora escreves ainda melhor :)! Força ehehehe!

Abreijinhos

Zabour disse...

Hum...musa inspiradora?
Andas a ver passarinho verde?
Ainda bem! É sempre bom ter uma fonte de inspiração, seja ela quem ou o que for...

Beijinho quentinho

Kaila disse...

Aiiii!tão lindo!
Inspirado...

Lize disse...

Já me tiraram as palavras todas da boca... ou dos dedos... :)
:) Esquece lá o que disse no comentário anterior... VIESTE com inspiração :D


Beijocas